Visão estratégica

A visão para uma atividade sustentável é intrínseca à estratégia corporativa da Brisa e articula as diferentes dimensões do negócio com vista à criação consistente de valor para todas as partes interessadas.

Nas últimas 4 décadas, o Grupo tem desempenhado um papel chave no financiamento, definição, construção e operação de uma rede de autoestradas que constitui a espinha dorsal do sistema rodoviário português. Por via dessa experiência, desenvolveu uma cultura fortemente vocacionada para a promoção da mobilidade e da acessibilidade, assente nos valores da ética, inovação e excelência, com importantes benefícios económicos e sociais para as atividades e comunidades que serve.

A Brisa assume-se assim como um “Parceiro para o Desenvolvimento de Portugal”, vocação que alarga a todas as geografias onde atua como concessionário de infraestruturas e/ou como fornecedor de serviços rodoviários avançados.

Uma nova visão

Durante 40 anos a Brisa liderou o mercado e estabeleceu um modelo de operação de infraestruturas rodoviárias estruturado e internacionalmente reconhecido.

O surgimento de novas tendências, desenvolvimentos tecnológicos e mutações nos padrões de comportamento ditam a entrada numa nova era, onde o conceito da Mobilidade adquire um significado mais amplo e traz consigo novos desafios.

Neste contexto, a Brisa repensou a sua estratégia e definiu uma nova visão, onde a Mobilidade é central, condição necessária para o crescimento com desenvolvimento.

Da Era das Infraestruturas para a Era da Mobilidade

 

A nova visão implicou uma redefinição de valores e do posicionamento da Brisa.

O binómio Investimento / Indução de Procura, numa ótica pura de gestão de infraestruturas, deu lugar a uma nova equação com múltiplas variáveis – económicas, politicas, demográficas, tecnológicas e comportamentais – que condicionam diretamente o modelo de negócio e criam ruturas estruturais:

  • Alteração do padrão de mobilidade urbana, novos modelos e opções de transporte integrado;
  • Pessoas mais racionais nas suas escolhas relativamente a viagens e meios de transporte, mais exigentes e melhor informadas, graças aos desenvolvimentos tecnológicos e ao seu fácil acesso;
  • Consciencialização social e ambiental, atenções voltadas para temas como sustentabilidade, energias renováveis e utilização racional dos recursos, nomeadamente infraestruturas;
  • Soluções de mobilidade sustentáveis e financeiramente acessíveis;

Para proporcionar condições de mobilidade eficiente aos seus clientes e financeiramente rentáveis para a empresa, a Brisa deve ir além da infraestrutura, adaptando-se para responder com soluções eficientes direcionadas à satisfação das novas necessidades.

Um novo posicionamento

Por via desta visão, nasce um novo posicionamento claramente centrado nas pessoas e na eficiência.

É na moldura desta nova visão e posicionamento que o Grupo redefiniu as suas prioridades e linhas estratégicas de atuação na área da sustentabilidade.

Os temas relevantes para a sustentabilidade 

Em 2014, a Brisa desenvolveu uma revisão independente dos temas relevantes de sustentabilidade na perspetiva do negócio. Para tal foi desenvolvida uma abordagem holística, integrando a visão dos principais stakeholders e empresas pares, bem como as tendências mais relevantes e respetivos impactos ao nível do risco reputacional.

A) O foco na materialidade

O foco da estratégia de sustentabilidade em torno de um conjunto de temas é definido com base na materialidade desses temas, a qual resulta do cruzamento entre a relevância destes para a Brisa e para os stakeholders.

A metodologia:

A identificação de temas foi efetuada pela seguinte metodologia:

Análise de materialidade:

Esses temas foram então analisados quanto à sua materialidade para o negócio da Brisa e para os principais stakeholders.

Os temas materiais:

Os 8 temas de elevada materialidade em simultâneo para a Brisa e stakeholders.

B) O diálogo com as partes interessadas

As partes interessadas (stakeholders) possuem expectativas legitimas, que definem os temas materiais para a Brisa. Identificar os temas críticos e construir uma relação positiva com todas as partes interessadas exige mecanismos de auscultação cada vez mais afinados.

As partes interessadas mais relevantes foram identificadas com base em dois critérios:

  • o impacto da parte interessada na Brisa
  • e o impacto da Brisa na parte interessada

A identificação exaustiva das expectativas de cada parte interessada e a respetiva resposta encontram-se articuladas com a análise de materialidade referida no ponto anterior e é sistematizada através da Norma AA1000 APS.

Partes interessadas e temas materiais

Organizações de referência:

Com grande relevância neste diálogo permanente com partes interessadas, a Brisa tem uma participação ativa num conjunto de organizações, incluindo associações sectoriais e entidades de referência ligadas ao desenvolvimento sustentável:

Com exceção da United Nations Global Compact, a Brisa está presente nas direções destas organizações.

A sustentabilidade em prática

O levantamento estratégico atrás descrito foi incorporado na prática quotidiana do Grupo Brisa com um conjunto de orientações de gestão claras (DMA), cujos resultados são relatados anualmente pelo conjunto de indicadores previstos no modelo GRI.

Abordagem de gestão (Disclosure on Management Approach)

Temas materiais Abordagem de gestão
Desempenho económico A Brisa considera a eficiência operacional e o desempenho económico como um dos pilares da sua gestão. Promove práticas de boa gestão, quer na vertente financeira, quer na vertente ambiental, de otimização de recursos. A Brisa procurará uma melhoria contínua da sua eficiência.
Satisfação dos clientes A Brisa assume que a gestão e satisfação do Cliente são um foco da sua estratégia em linha com o atual modelo de negócio. É nesse sentido que pretendemos monitorizar a satisfação dos nossos clientes e melhorar continuamente os nossos serviços, através da manutenção e/ou melhoria das infraestruturas.
Eficiência do serviço A Brisa pretende melhorar continuamente a eficiência do serviço através do investimento na qualidade dos serviços prestados, na segurança rodoviária e na gestão ativa de tráfego.
Transparência de práticas de gestão  A Brisa promove práticas de gestão transparente alinhadas com os valores da organização, normas e princípios de ética.
Inovação em produtos e serviços A Brisa promove o desenvolvimento do seu negócio de acordo com os padrões mais exigentes ao nível tecnológico e de inovação, como fator crítico de sucesso e diferenciador do seu negócio face aos concorrentes.
Ação e consciencialização ambiental A minimização do impacto ambiental e a gestão dos aspetos ambientais ao longo do ciclo de vida das autoestradas é uma das prioridades da Brisa, através da adoção das melhores práticas de desempenho ambiental e redução contínua dos riscos ambientais.
Relacionamentos e impactos nas comunidades locais A Brisa valoriza o relacionamento com as comunidades locais em todas as fases da sua atividade e potencia os impactos positivos na sociedade, através do investimento no recrutamento e contratação de fornecedores locais. 
Desenvolvimento profissional e práticas laborais A Brisa valoriza o seu capital Humano através de programas de formação e desenvolvimento de carreira, programas de integração, promoção do equilíbrio da vida pessoal-profissional, prevenção de saúde e segurança no trabalho, assente numa cultura empresarial de excelência.

Reporting GRI

De acordo com as melhores práticas de transparência corporativa, a Brisa adotou o modelo de reporting GRI, cujos resultados são incluídos no Relatório de Sustentabilidade anual.

Consulte aqui um resumo dos indicadores GRI relativos a 2015.

Vetores de intervenção

No terreno, a estratégia de sustentabilidade da Brisa desenvolve-se em 5 vetores fundamentais:

  • Desempenho económico
  • Mobilidade sustentável
  • Gestão ambiental
  • Recursos humanos
  • Desempenho social
Para maior detalhe, consulte os vetores fundamentais da sustentabilidade na Brisa.