Principais Indicadores Financeiros Consolidados

A Brisa considera a eficiência operacional e o desempenho económico, como um dos pilares da sua gestão.

Resultados 2020

O ano de 2020 caracterizou-se por um enquadramento macroeconómico fortemente influenciado pela pandemia da COVID-19, a qual teve um impacto negativo em toda a atividade operacional da Brisa. O tráfego na rede da Brisa Concessão Rodoviária, S.A. (BCR) registou uma variação negativa de 25,2%, invertendo o ciclo de crescimento que se tinha vindo a verificar em anos anteriores.

Face às adversidades geradas por esta crise pandémica, da qual resultaram sucessivas declarações de Estado de Emergência e várias medidas e restrições impostas pelo Governo Português à circulação de pessoas e ao livre exercício de atividades económicas, a Brisa procurou manter-se fiel à sua orientação estratégica, focada na gestão eficiente das infraestruturas rodoviárias concessionadas, nos serviços de mobilidade e tecnologia, no cliente e na sustentabilidade do negócio, mantendo a sua resiliência operacional.

Neste contexto, os Proveitos Operacionais consolidados da Brisa diminuíram €157,1M (-20,1%), para €624,1M, fortemente impactados pelo decréscimo do tráfego. Os outros segmentos de negócio, para além dos associados à infraestrutura rodoviária, também foram afetados pela pandemia da COVID-19. O resultado líquido, pressionado pela queda das receitas de portagem, registou um decréscimo face a 2019 (-17,1%), situando-se nos €126,0M.

 

Investimento

A melhoria contínua dos serviços prestados, garantindo a manutenção do elevado nível de conforto e segurança de quem viaja nas autoestradas é uma preocupação constante da Brisa. Em 2020, o investimento realizado na rede BCR totalizou €47M, tendo ainda sido investidos €16,5M com o objetivo de assegurar a inovação permanente necessária aos novos desafios das áreas de mobilidade e tecnologia.

 

Indicadores Financeiros 

 
 
Principais Indicadores de Desempenho (M€) 2018 2019 2020 
Proveitos Operacionais 746,5 781,3 624,1
Receitas de Portagem 592,4 622,7 475,3
EBITDA 1 553,7 577,1 434,2
Margem EBITDA 1 74,2% 73,9% 69,6%
EBIT 2 362,8 315,1 262,8
Margem EBIT 2 48,6% 40,3% 42,1%
Dívida Financeira Líquida 3 1 739,8 1 685,4 1 525,8
Dívida Financeira Líquida 3 / EBITDA 1  3,1x 2,9x 3,5x
Resultado líquido          158,0 152,0 126,0

(1) Resultado operacional corrigido de Provisões, Amortizações, Depreciações, Ajustamentos e Reversões.

(2) Resultados antes de Ganhos e Perdas financeiras e impostos.

(3) Dívida nominal deduzida de caixa e equivalentes